Hortinha em vasos


Ok, você já deve ter notado que eu ando a louca das plantas. Sim, mas faz pouco tempo que eu me descobri assim. Tudo começou com a rosinha que ganhei de Valentine's (14 de Fevereiro aqui na Suécia) e, desde então, cultivar plantinhas virou mais uma prática adorável nos meus dias. Não é preciso muita pompa para que elas sobrevivam prosperem, apenas água, luz solar, poda e atenção.

Na foto acima, você pode ver a soleira da janela da nossa cozinha (a janela um tanto empoeirada, admito). Da esquerda para a direita, hortelã, cebolinha e duas variedades de manjericão. Eu sempre compro minhas mudinhas no supermercado e, ao chegar em casa, transfiro-as para um pote maior com terra (também comprada no supermercado).

Conheço algumas pessoas que, equivocadamente, acham que essas mudas nunca duram muito tempo (por algum motivo inexplicável de uma galáxia distante), mas deixa eu te contar um segredinho suuuuper básico? Quando compramos mudinhas em floriculturas ou supermercados, elas não vêm com terra alguma, apenas um emaranhado de raízes, o que não é o suficiente para garantir seu desenvolvimento.

Na foto abaixo, você vai notar que eu cortei a cabeleira da cebolinha para estimular seu crescimento.



À esquerda, a poda que fiz hoje de manhã. À direita, a poda que fiz antes de ontem. As folhas mais escuras são as que nasceram a partir da poda - notou como elas crescem rápido? Eu fiquei chocada. Aliás, cultivar plantas é uma prática que faz o queixo cair quase todos os dias. Bam! um novo broto. Bam! um novo botão. Bam! o botão desabrocha da noite pro dia.


Eu não sabia o que fazer com tanta cebolinha, então piquei e armazenei na geladeira para quando for necessário.


Quando comprei a mudinha de hortelã, ela estava mais cheia e pomposa, mas resolvi fazer uma poda e usar algumas (várias) folhas para um chá. Seu estômago está um pouquinho chateado? Chá de hortelã ajuda a tratar problemas digestivos.





Em um post passado, comentei brevemente sobre meu desejo de fazer um óleo de lavanda caseiro. Então, já faz quase cinco semanas que venho coletando e secando os raminhos (eles não ficam todos prontos ao mesmo tempo), e novos botões florais já estão se expandindo.



Tirei essa foto agorinha mesmo. Acho que vou deixar esse ramo secando por mais uma semana e depois assistir a algum tutorial de como preparar óleo de lavanda caseiro.


Eu quero agradecer às leitoras que sempre deixam uns comentários adoráveis no final de cada postagem. Sério, vocês são demais! Muito obrigada pelo apoio! Vocês sempre comentam sobre como meus posts adicionam um punhado de serenidade às suas leituras. Todas nós merecemos cultivar esse olhar carinhoso. Engajar em atividades manuais que façam os ponteiros do relógio parar. Acender uma vela e ficar observando a dança da chama, como se ela fosse a dança da nossa alma.

Mais uma vez, obrigada :)

Comentários

  1. Amar e cuidar de plantinhas em algum momento chega pra todo mundo mesmo kkkk. Brincadeiras à parte... eu tô tentando me desligar um pouco mais das redes sociais e ontem estava escrevendo uma listinha de coisas que eu queria incluir na minha vida, e pasme, coloquei "comprar uma plantinha pra mim e cuidar". Aqui em casa tem muitas plantas, mas todas da minha mãe - ou seja, não preciso cuidar. Hoje fui ao mercado e quase na hora de ir embora encontrei uma parte com algumas plantas e comprei minha primeira plantinha, que por sinal é perfeita pra mim porque posso deixar no quarto, já que não gosta de sol direto (zamiolculca). Andei pensando aqui e cultivar essas bonitas é mais uma oportunidade de se manter presente, e tbm estar em contato com a natureza no nosso cotidiano. Já estou animadíssima aqui, e amando acompanhar seus posts sobre - as suas estão lindas e se desenvolvendo super bem. <3

    P.s: sobre o finalzinho do post... essa semana eu até citei vc em um post meu sobre estar presente. Como falei lá, as palavras que a gente lê em algum momento causam algum impacto no nosso dia. No caso as suas, de um jeito muito bom!

    Abraços, Amanda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Liz! Já vou dizendo que é um caminho sem volta! Começa com uma, duas, e quando tu menos nota, tem uma selva dentro de casa! hahaha
      Eu já tinha visto essa zamiolculca, mas não conhecia o nome. Ela é linda demaaaais!
      É assutador o quanto a gente passa na frente de uma tela, né? Eu trabalho online, então de horas de trabalho já dá 7-8 na frentre de uma tela. Eu estou bem desconectada de qualquer chat, e devo estar sendo até mesmo um tanto egoísta... não respondendo as pessoas. Ainda aprendendo a encontrar esse balanço.

      Sabe, eu entrei no teu blog para ver o post em questão (fazia tempo que eu não entrava nos blogs que gosto de seguir), e eu descobri tantos posts bacanas! Sério, estou lisonjeada com o post que tu escreveu!

      Um beijo, linda!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Hello!

O poder da leitura

Analisando sonhos