Hora de dormir: hábitos noturnos, aconchego e melatonina

Eu sou um early bird. Se for traduzir ao pé da letra, isso significa passarinho cedo, ou seja, um passarinho das manhãs, uma pessoa que acorda cedo naturalmente. Talvez eu não seja tão early bird quanto minha amiga Natzha, que mora no Havaí e assiste ao nascer do sol frequentemente. Ela é o early bird mais early que eu conheço.

Pessoalmente, não existe momento mais precioso que o despertar, e isso me faz pensar que eu deveria ser devota à deusa grega Eos, que personifica o amanhecer. Contudo, para sentir a graciosidade das manhãs, é necessário ter uma noite de sono decente e dormir cedinho com as galinhas - esse post está cheio de asas.

Meu peito pesa à noite

Eu não sei vocês, mas eu não me sinto muito bem à noite. Não sou essa pessoa leve e saltitante ao anoitecer. Meu peito pesa, eu me sinto ansiosa e abro espaço para uma série de pensamentos feios. Eu tampouco acho que isso seja normal. Não decidi aceitar que isso acontece à noite e ponto final. Certamente há um problema que precisa ser investigado e corrigido, e estou nesse processo de busca.

E é por isso que vou dormir cedo, sabe? Dessa forma, passo menos tempo em uma batalha mental noturna, e mais tempo em uma manhã radiante. Tenho a impressão de que, à noite, acumulamos muito do que aconteceu ao longo do dia, e aquelas conversas e momentos começam a ruminar em volta da cabeça. Talvez, tudo o que eu esteja precisando ao anoitecer seja uma limpeza astral através de hábitos noturnos que me convidem a entrar em meu próprio lar.

Mudança de hábitos

Ultimamente, tenho me exercitado em casa à noite, com incenso, luzes amareladas aconchegantes e uma playlist da Destiny's Child. Tomo um banho quentinho e vou assistir minha série com uma canequinha de chá de camomila. Acontece que depois da série meu cérebro ainda está muito ativo, então fiz um contrato mental comigo mesma que eu desligaria toda e qualquer tela após às 21h.

Eu preciso dizer o quanto isso tem me ajudado?
Não, né?

Eu arrumo a casa, deixo a louça lavadinha, escovo os dentes e vou para cama. Se eu desligasse as luzes e tentasse dormir imediatamente, essa seria uma batalha perdida. Em vez disso, eu deixo tocando uma playlist de jazz com chuvinha, e escrevo meu journal. Depois de uns 10min, meus olhos começam a piscar.

Às vezes a gente pensa que não sente sono tão cedo, mas chegamos a dar a chance para sentir sono?
Também não, né?

Não tem como sentir sono com música alta, uma luz forte nos olhos e vários outros estímulos ao mesmo tempo. Inclusive, li em alguns cantos dessa internet que o excesso de luz (e principalmente essas luzes brancas do teto e das telinhas) afeta a produção de melatonina, hormônio responsável pela sonolência. Quando nosso corpo percebe o anoitecer, melatonina começa a ser produzida, como quem diz Opa! Tá chegando a hora de se recolher, gurizada!

Nosso corpo é fenomenal, não é?
É.

E deve ser uma tarefa difícil produzir melatonina com as várias luzes ao nosso redor... Esse blog aqui não é um especialista na química do sono, mas você sabia que a interferência na produção de melatonina pode consequentemente afetar seu ciclo circadiano? Esse ciclo é o que popularmente chamamos de relógio biológico. A exposição excessiva à luz artificial desregula nosso reloginho amigo.

Já faz alguns dias que estou implementando essa nova rotina às minhas noites, e meu corpinho está manifestando maravilhas! Tenho caído no sono por volta das 22h e acordado às 6h sem despertador. Tenho tido menos interrupções no sono durante a noite e acordado mais relaxada. Até mesmo o horário de ir ao banheiro regulou.

Se você encontra dificuldades para dormir, ou mesmo para se sentir aconchegado à noite, faça uma análise de como você tem vivido seu anoitecer. Talvez você não precise de mil medicamentos. Talvez você só precise colocar em prática umas coisinhas simples como desligar as telinhas mais cedo e usar um abajur.
:)
Posts que você vai amar!

4 comentários:

  1. Nossa, acho que é exatamente nesse compromisso que eu tenho falhado comigo mesma nessa questão do sono, Amanda! Preciso rever isso em mim. ótimo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii, Liz! Sim! Sono é a chave para ser feliz hahaha. É algo tão simples, mas que ainda não aprendemos a dar o devido valor. Um beijo!

      Excluir
  2. Nossa, meu sono é prioridade máxima na minha vida nos últimos anos. Ao contrário de você, não sou uma early bird. Nunca fui e acordar cedo para ir estudar ou trabalhar sempre foi um problema pra mim. Regular nosso ciclo é maravilhoso e eu amo quando até o horário de atender ao chamado da natureza fica certinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo 100%! Pois é, essa questão de acordar cedo ou não... Cada um vive da forma que puder/quiser, né? O importante é estar tendo as horas de sono.
      Um beijo!

      Excluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo