Feijoada vegana, cookies e os narizes empinados do Moinhos de Vento



Gourmand (masculino) e gourmande (feminino), em Francês, são pessoas que amam e sentem prazer com comida. Talvez a tradução apropriada seria "comilão/comilona". Nesse Sábado que se passou, resolvi passear por Porto Alegre e conhecer algum restaurante novo, já que eu passo a semana inteira cozinhando em casa. Fazia muito tempo que eu não comia feijoada, e quando eu digo muito tempo, é porque não comi feijoada nos três anos que passei na França - a saudade bateu forte.


Caminhando pela Rua Mais Bonita Do Mundo, que fica aqui em Porto Alegre (e que ouso discordar), encontrei esse lugar chamado Casa 193 - Skate Gastrobar, servindo feijoada tradicional e vegana. Eu não pensei duas vezes e me joguei para dentro.


O prato de feijoada era tão grande que eu não consegui comer metade, então se você não gosta de desperdício, e come que nem um passarinho, peça ao atendente que sirva uma porção menor. De toda forma, a feijoada estava uma delícia, e a moranga caramelizada, um espetáculo.


Por mais que a Gonçalo de Carvalho apareça no Google como A Rua Mais Bonita Do Mundo, vamos combinar que esse negócio de "rua mais bonita" não existe, né? Contudo, essa rua é, de fato, um encanto. As copas das árvores se encontram lá no alto, formando uma linda clareira sobre a rua de paralelepípedo. O silêncio dessa rua faz carícias no meu peito e no meu coração.


O dia estava muito propício para uma caminhadinha, e fui em direção ao Moinhos de Vento, um bairro que amo e detesto ao mesmo tempo haha. Eu amo as ruas, o charme dos comércios e suas fachadas, o aspecto organizado, limpo e rústico em cada esquina. Eu detesto os preços e o ar esnobe de algumas pessoas que frequentam o bairro - é verdade.

Sabe, Paris é mundialmente famosa pelo nariz empinado, mas, morando lá, senti que essa tal fama é mais um estereótipo do que um fato. Já, aqui no Moinhos, o nariz empinado é um fato. É o fato mais fatídico da história dos fatos. Em Paris, e na França num geral, as pessoas fazem muito uso das mots magiques (palavras mágicas), como por favor e obrigado, enquanto que aqui pelo Moinhos, parece que essas palavras nunca existiram.

Eu ainda acho muito estranho quando, por exemplo, dou espaço para alguém passar, e esse alguém simplesmente passa sem ao menos me olhar, como se a rua fosse sua passarela, e eu, um cone laranja de sinalização que finalmente fora removido do meio do seu caminho. E esse é o tipo de situação que não aconteceria em Paris.


Narizes e moinhos à parte, passei na Galeria Casa Prado e dei uma chance às delícias da oKidoKi - Handcrafted Cookies. Eu achava que esse fosse o tipo de cookie que se paga caro pelo bairro (e realmente é), mas fiquei impressionada com esse pedacinho de paraíso. Ele é pesado, bem recheado e cremosinho por dentro. Sabor: macadâmia e chocolate branco. Valor: R$9,10. Há também uma opção vegana.
:)
Posts que você vai amar!

10 comentários:

  1. Essa feijoada vegana me deixou com água na boca!

    ResponderExcluir
  2. Na Franças as pessoas empinanam o nariz para quem não tem educação. E aqui as pessoas empinam o nariz para quem TEM educação. As pessoas te abordam sem uma saudação, te solicitam favores sem um "por favor" e poucos agradecem gentileza.

    ResponderExcluir
  3. O Moinhos ainda conserva a "fama" de bairro chique do século passado...foram-se as fortunas mas os sobrenomes de peso ficaram com sua arrogância provinciana de sempre! A geração das catalogadas do Gasparotto...dos eventos no "cântry" e dos debuts no Leopoldina juvenil! Sim cara cronista Poa em algumas coisas nao muda nunca!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que algum dia essa energia mude por aquelas belas ruas! Um bom dia, Ramon!

      Excluir
  4. Bom dia!
    Gostei bastante de ler essa crítica sobre o bairro e também compartilho o mesmo sentimento ambíguo sobre ele. O único país que eu conheço é o Brasil, mas por ele ter proporções continentais posso dizer que conheço outras culturas e percebo que esse nariz empinado (como diria minha filha: cara de quem cheirou pum) é bastante presente no Sul do país, não é uma característica do Moinhos, mas é presente no Rio Grande do Sul com algumas variações. Pelotas é um exemplo do que o Ramonfilho comentou. É uma lástima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nanna! Nossa, eu tive que rir com o comentário da tua filha hahaha. Tu não é a primeira pessoa que me diz que o RS num geral apresenta esse comportamento... uma pena... De toda forma, temos muitas coisas boas a apresentar, e muita gente bacana também! Um abraço!

      Excluir
  5. Eu ameei, não sou muito de ler mas com certeza vou vir aqui mais vezes ♥️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Fico alegre em saber que você gostou do blog! Tenha um dia adorável!

      Excluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo