2 podcasts, 1 canal e 4 livros que recomendo

Bonjour, bonjoooour :) No post de hoje, eu vou recomendar 02 podcasts e 01 canal no YouTube que acompanho, bem como 04 livros que li recentemente. Bora lá?

PODCASTS

Olhando pra Dentro (link)
"O Olhando pra Dentro é um ciclo de conversas sobre intuição. Um projeto de troca de experiências. E também um podcast. O Olhando fala desse mergulho interior através de uma investigação curiosa, ligando intuição à criação de projetos criativos, espiritualidade e bem-estar."

Esse podcast, apresentado pela Fernanda Sigilião, sempre me traz muito aconchego e inspiração. Eu gosto de escutá-lo no final do dia, quando já estou em casa e de banho tomado, com um chazinho ou um vinho nas mãos.

Filosofia Pop (link)
Esse podcast é para aqueles momentos que eu quero cultivar meu cérebro amado haha. Eles trazem vários convidados especializados em diversas áreas da Filosofia, e não fica naquele same old, same old da Filosofia Grega, a conversa vai muito além!

YOUTUBE

Vomitando Arte (link)
Ahhhh eu não consigo colocar em palavras o quanto eu amo esse canal e o quanto eu admiro todo o trabalho, empenho e capricho da realizadora, Christiane Pinheiro. Ela acredita que História da Arte pode ser ensinada de forma simples e informal, e eu assino embaixo! Eu gosto de assistir aos vídeos dela como se fosse um Netflix (binge-watching mesmo) pois é o tipo de conteúdo que desce tão redondo quanto minha série favorita. Sou tão fã do canal dela que virei sua Patreon, uma forma de apoiar e contribuir financeiramente com o trabalho de criadores!

LIVROS

Uma das minhas metas para 2021 é tornar a leitura de livros uma tarefa tão cotidiana quanto escovar os dentes e tomar banho. O mês de Março está mostrando sua cara, e eu já terminei de ler 04 livros, o que me faz acreditar que estou obtendo sucesso nessa meta hehe. Bem rapidinho, eu quero compartilhar com vocês as últimas 04 leituras que eu fiz e como elas me tocaram.


Nota: Desde que me mudei para França, eu tenho lido apenas livros em Inglês e Francês, porque é o que mais se acha por aqui. No ano passado, eu fiz questão de ler mais livros em Francês (com enfoque espiritual), pois eu estava aprendendo a língua - ainda estou hehe. Já, esse ano, tenho comprado meus livros em bookstores como Shakespeare & Co, The Red Wheelbarrow e Galignani, uns cantinhos de aconchego e amor com váaaaaarios livros em Inglês aqui em Paris.

Motherhood - Sheila Heti
Quem acompanha meu drama de perto sabe que eu estou passando por uma crise que eu jamais imaginei que seria minha: essa tal dúvida da maternidade. Para mim, o não ser mãe era algo muito definido, e eu ficava toda estressada quando as pessoas diziam Você ainda vai mudar de ideia... Eu ainda não mudei de ideia, mas essa crença super definida começou a balançar desde que comecei a namorar um homem que quer muito ser pai no futuro.

Entre conversas e crises, eu estou tentando não me moldar às expectativas dele (e da sociedade, né), mas ao mesmo tempo, sei que a vida é uma brisa que vai e vem, que muda facilmente, e eu também. Estou tentando me permitir mudar, caso essa vontade venha daqui de dentro.

Foi por isso que comprei Motherhood, um livro escrito por uma mulher que não quer ser mãe. Ela compartilha seu íntimo de forma crua, ao ponto de ela me pegar de surpresa com tamanha sinceridade. Embora seja um conteúdo de peso para o momento que estou vivendo, essa leitura foi leve e divertida, e eu me identifiquei horrores! haha

Can We All Be Feminists? Seventeen Writers on Intersectionality, Identity and Finding the Right Way Forward for Feminism - Edited by June Eric-Udorie
E eu achava que sabia o que era Feminismo HAHAHA Tô aqui dando risadas bem altas que é para não chorar. Enquanto eu lia o que as 17 escritoras tinham para falar sobre Feminismo, eu me dei conta de que tudo o que eu sabia sobre o assunto vinha de uma posição privilegiada. Esse livro me deu uns tapas na cara e abriu meus olhos quanto a Interseccionalidade que existe no Feminismo.

Sou mulher, então é óbvio que eu já experienciei sexismo, desrespeito e assédio ao longo da minha vida. Contudo, eu sou branca, magra, de classe-média, cisgênero e não tenho deficiência física/mental. Por mais que eu seja imigrante Latina, eu nunca senti que isso foi um empecilho para encontrar emprego, e talvez eu tenha tido sorte. Foi iluminador ler o ensaio dessas mulheres que vivem e batalham em uma intersecção de vários preconceitos ao mesmo tempo. Mulheres negras, gordas, muçulmanas, deficientes, imigrantes, LGBTQ+, sex-workers, etc. O livro discute o fato de que Racismo, Xenofobia, Homofobia, etc. também fazem parte da luta feminista, e que essas causas não podem ser engavetadas separadamente. Esse é o livro que eu mais recomendo!

Little Weirds - Jenny Slate
Sabe a atriz e comediante Jenny Slate? Então, ela escreveu um livro! Confesso que eu fiquei um pouco confusa quando comecei a ler sua narrativa. Eu não estava sacando muito bem o intuito do livro e a dinâmica rápida e exagerada com a qual ela se comunica, mas depois do segundo capítulo eu entendi que é como se ela estivesse no palco de um stand-up comedy compartilhando sobre sua vida e o que se passa em sua cabeça. Quando me dei conta disso, eu consegui acompanhar a leitura e dar muita risada haha. Sério, se você está afim de ler algo bem pessoal e divertido, Little Weirds é o que você está procurando.

Before The Coffee Gets Cold - Toshikazu Kawaguchi
Eu não era fã de ficção. Na verdade, eu não lia ficção de forma alguma. Porém, depois de anos sem ler algo do tipo, eu finalmente resolvi dar uma chance ao gênero e comprei o livro Before the Coffee Gets Cold, um best-seller japonês.

O livro apresenta quatro histórias interconectadas que se passam em um único cenário, um café pequeninho gerenciado por uma família. Dentre as poucas mesas do café, uma delas está sempre ocupada por uma mulher vestida de branco, e quando ela se levanta para ir ao banheiro, o assento fica vago por alguns minutos para quem quiser fazer uma viagem no tempo. Essa viagem envolve uma série de regras restritas, dentre elas, o café deve ser bebido antes de ficar frio.

Eu fiquei viciada no enredo e me apeguei aos personagens. Mais do que apenas uma viagem no tempo, o livro aborda relacionamentos ao longo dos quatro capítulos: The Lovers, Husband and Wife, The Sisters e Mother and Child. Esse livro abriu meu apetite para mais ficções.

Comentários

  1. amanda, amei esse post <3 já me inscrevi no canal que indicou e tô aqui com a página do poscast "olhando pra dentro" aberta pra começar a ouvir. sobre livros: tô feliz demais por ter finalmente tornar isso um hábito na minha vida, foi a melhor coisa que fiz! amei a descrição desse livro do Toshikazu Kawaguchi que indicou, já vou procurar a versão dele em português, espero que tenha. e já que curtiu a leitura dessa ficção, te indico Sono, do Haruki Murakami. é uma leitura leve, fluída, curta. o livro é cheio de artes incríveis e o final é muito intenso. fiquei com ele na cabeça por dias, acho que você vai curtir :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heeeey, Ka! Obrigada pela recomendaçao! E siiiim, agora entendo essa sensaçao de conseguir transformar a leitura num habito NORMAL hehe. Eu me sinto mais viva, confesso. espero que você ame as minhas recomendaçoes tambem! Um beijo!

      Excluir

Postar um comentário