o que fazer em Lille, FR (durante a pandemia)


Não sei vocês, mas eu não preciso de muito para ser feliz enquanto estou viajando. Caminhar pelas ruas, apreciar a arquitetura de prédios, observar como locals se comportam, e me deliciar com comidinhas gostosas já é mais do que suficiente! Eu também adoro de paixão visitar museus de arte e entrar em cada igreja que meus olhos encontram - algo que aprendi com meu pai.

Amo fazer um tanto de coisas, mas temos que combinar que nem todas as portas estão abertas em meio à pandemia. Inclusive, as medidas de proteção adotadas pelo governo Francês mudam de tempos em tempos, e neste exato momento que estou escrevendo essas palavras, a França se encontra sob um couvre-feu (toque de recolher) bem restrito: todo mundo deve estar em casa à partir das 18h. Dói, eu sei... ainda mais agora que a Primavera está aflorando e a luz do dia se alongando. Bares e restaurantes por aqui somente trabalham com take-away, e museus, cinemas e teatros estão completamente fechados - quase chorando aqui.

É por isso que viajar pela França não está tão exciting quanto antes, mas a gente sempre dá um jeito de ser feliz e aproveitar, não é? Então venho compartilhar com vocês umas dicas, um roteirinho, umas coisinhas que fizemos em Lille que super recomendo! Bora lá? Bora viajar?


Antes de ter sido conquistada por Louis XIV, Lille fora flamenga, borgonhesa e espanhola, e é por isso que a arquitetura é uma mistura louca, então já começo esse parágrafo dando a seguinte dica: observe a arquitetura! Nossa, eu poderia passar horas só caminhando pelas ruas e me impressionando com as diferenças. Dê uma pesquisadinha sobre a história da cidade - isso sempre torna qualquer trip mais significante.

Passeie pela Grand'Place, também conhecida como Place du Général-de-Gaulle (ele nasceu em Lille). Essa praça é governada por quatro mulheres: la Déesse (a Deusa), no topo de uma coluna no centro da praça, celebrando o cerco de Lille pelos austríacos em 1792, e três graças, três mulheres que representam as três províncias da região: l'Artois, la Flandre et le Hainaut. É muito bacana olhar o que está ao seu redor e compreender o porquê de tal estátua e de tal decoração. Você não precisa ser um expert em História da Arte, basta ter um negócio chamado Google no seu celular e fazer umas pesquisas rápidas.

Compre uns postscards! Faz pouco tempo que comecei a colecionar postscards de cidades que visitei e estou amando! Cole na parede do seu quarto, guarde em sua caixa de tesouros, envie por correio para sua sobrinha ou uma grande amiga.


A Place du Théâtre fica logo do lado da Grand'Place. Entre essas duas praças, situa-se a Vieille Bourse, a qual abriga atualmente um Book Market de livros usados. Vale muito a pena entrar e passar de mesa em mesa. Sendo bem sincera, eu não sou fã de comprar livros usados, mas se você é o louco dos sebos, prepare-se para se apaixonar. Além disso, tire um tempo para circundar a Vieille Bourse e se encante com a arquitetura à maneira Renaissance Flamande (Renascença Flamenga). *suspiros*


O lindíssimo belfry/beffroi/campanário de Lille se encontra na Place du Théatre, bem como a Ópera, construída em estilo neoclássico (falei que era uma mistura de estilos arquitetônicos, não falei?). Quebre o pescoço e contemple o gótico da Église Saint-Maurice, a qual começou a ser construída no século XIV e concluída no século XIX.



O bairro Vieux Lille é mais uma mistura de cores, pedras e tijolos com uma boutique atrás da outra. É um ambiente muito vivo e fofo! Passe pela Catedral de Lille, cruze a Place aux Oignons e dê uma paradinha no Aux Merveilleux de Fred, pâtisserie suuuuper famosa que vende nada mais nada menos do que les merveilleux (maravilhosos). Exato! Les merveilleux sont meeeerveilleux! Há quatro Merveilleux de Fred em Lille, mas a primeira delas se encontra na Rue de la Monnaie. Esse doce é super leve, tipo um merengue - yummy!




Não coma comida que você já conheça. Entregue-se àquele snack que você mal sabe pronunciar e aponte com o dedo indicador. Eu me entreguei a esses dois pedaços de pão coloridos. Um deles é feito com matchá, o outro, com charbon (carvão), por isso a massa é preta. Era só um pedaço de pão, mas fiquei super curiosa para experimentar. Boulangerie Papillon :)


Falando em charbon, encontrei uma pizza feita com esse mesmo ingrediente no Marché de Wazemmes. A pizzaria se chama Molto, e la pizza è moooolto buona - hehe. E essa aí abaixo sou eu me jogando de bunda e calça branca no chão :)



Precisando de um cantinho verde e campo aberto? Vá ao Parc de la Citadelle. Sério, que parque lindo - ainda mais com o final de semana ensolarado que tivemos!


Como o couvre-feu começa às 18h, passamos a noite em um Airbnb cozinhando umas comidinhas que compramos no Marché de Wazemmes e (quase) jogando Uno - se eu não tivesse caído no sono. Super dá para aproveitar, mas tenha responsabilidade e use máscara, falou? Bon voyage!

Comentários