fazendo as pazes com essa parte de mim

fazendo as pazes com essa parte de mim
sim, essa parte de mim
assim como dela também sou

aqui agora o solo se decora
mosaico oscilante
caleidoscópio natural
toda a vez que o sol flerta um novo ramo de folhas frescas
essa parte de mim

humano tem mania de dar nome
gosta de um rótulo
procura diferenças
constrói muralhas tão altas que silenciam os recados da lua
de um lado
humano
do outro
natureza

não me deram escolha
é humano ou humano
é desse lado que você vai ficar

cercada por essas paredes
humano me fez acreditar
que existe humano e natureza
mas cada qual no seu lugar

e se eu não quiser ser humano?
que rótulo vão me dar?

bruxa
mas em tom de zombaria
e bruxa alguma entenderia
como humano pode rir de uma palavra como essa
carrega alívio e amor
e aroma de sangue
carne osso alma inteira
queimando lento nos estalos da fogueira

bruxa
bruxa não dá nome
bruxa não procura diferença
bruxa sabe e sente que essa é só mais uma parte dela
e bruxa tem várias partes de si espalhadas por aí
broto jovem aprendendo a crescer
grama verde grossa vibrante
palha seca aprendendo a morrer

humano não repousa o corpo na grama
diz que é muito sujo
como se humano fosse limpo

grama acolhe bruxa de vestido branco
bruxa se aninha no úmido da grama
a terra nunca fora tão limpa
é a parte mais limpa que eu poderia ser
e na limpa terra negra e lodosa
converso com mais partes de mim e nem preciso falar
formigas, joaninhas
cogumelos, pinhas sequinhas
bruxa faz as pazes com partes de si que aprendera a odiar
humano ensinou bruxa a (se) odiar

encontrei uma aranha entre as páginas do meu livro
e quando ainda era humana
atirava aranha para longe
matava aranha
matava parte de mim
quantas partes de mim já maltratei

quando ainda era humana
tinha medo, nojo, asco
ainda tenho, admito
de algumas partes de mim
bruxa em aprendizado
não é fácil amar assim

é um processo
uma longa caminhada a pé
bruxa quer ser completa como um quebra-cabeça
só que humano roubou muitas de minhas peças
e não se deu ao trabalho de avisar

e entre as páginas do livro
bruxa olha aranha
ou aranha olha bruxa?
frente a frente com aranha
pequenina, delicada
forte, frágil, dedicada
bruxa se identifica em um piscar de olhos
ela é tão universo quanto bruxa
tão viva quanto bruxa
tão merecedora quanto bruxa

bruxa é aranha que se perde entre as páginas de um livro
bruxa é lasca de madeira castanha
é minhoca, borboleta
folhas que fogem em charmosas piruetas
é vento gelado
tempo abafado
chamando chuva
lavando sombras que bruxa aprendeu a abraçar

pedi desculpas para aranha
dessa vez não a joguei para longe
deixei aranha mapear minha pele
deixei aranha explorar essa parte de si
e em troca
aranha me deu mais uma peça que faltava nesse quebra-cabeça

Comentários

Postar um comentário

Form for Contact Page (Do not remove)