Uma tarde nos Jardins de Versailles + projetos para você começar a desenvolver hoje!


Eu não consigo expressar o quanto gosto de ir para esses jardins e apenas existir, pausar os ponteiros e me perder em devaneios, imersa nesse interminável verde dos Jardins de Versailles. Postei no blog há um tempo atrás sobre minha primeira trip ao Château de Versailles e o sufoco que turistas ao redor do mundo passam enquanto visitando pontos turísticos altamente procurados e lotados, bem como sobre o fato de muitos de nós não sabermos viajar com qualidade, mas quantidade. Nessa segunda visita, decidi passar a tarde nos jardins e me reconectar com a grama, a brisa e a tranquilidade - eu não tinha noção do quanto eu estava precisando disso.

Fazia tempo que eu queria dar esse passeio, e é em momentos como esse que noto o quanto postergo planos, trips e prazeres pela simples falta de planejamento; de parar tudo, sentar e refletir: o que vou fazer no final de semana? Que lugares novos eu gostaria de conhecer? Como posso escapar dessa minha rotina? Desse same old, same old... Às vezes é isso que está faltando, sabe? Eu aposto que você, assim como eu, tem várias vontades e sonhos, mas acaba deixando o planejamento para depois pelos motivos agora-não-dá e ah-que-mão.


E nessa brincadeira de deixa-para-depois a gente vai perdendo aquele brilho no olhar, aquela faísca gostosa dentro do peito que nos faz vibrar. É por isso que eu resolvi de última hora pegar o RER (transporte) e simplesmente ir! Para chegar até o RER, tive que cruzar uma ponte que atravessa o rio Seine e me deparei com esses restaurantes-barcos. Eu não havia nem pegado o RER e já estava toda contente por estar traçando uma rota diferente.

Esses dias eu estava conversando com um amigo que mora no Brasil sobre a possibilidade de ele passar uns dias no meu studio enquanto eu estiver viajando, depois que esse cenário Covid passar. Alguns dias após eu ter feito essa proposta, ele me disse que esse convite inesperado fez algo faiscar dentro dele. O simples fato de ele planejar essa possibilidade fez ele sentir aquele calorzinho no peito, sabe? Você sabe quando você sabe haha.


E é a isso que eu me refiro: mudanças, novos planos, novos estímulos! Ok, eu compreendo que uma viagem para Paris é mais do que um simples estímulo: é um estímulo fantástico! Não estou dizendo que você precisa virar seu mundo de cabeça para baixo, nem gastar alta grana para poder sentir esse calorzinho no peito. Aqui na França, felizmente, estamos desconfinando e voltando à normalidade aos poucos, ao contrário do Brasil (logo vai acontecer!), então fazer as malas e dizer au revoir, Brésil não é tão fácil no momento. Então que tal explorar novos projetos e colocar no papel alguns planos? Se você não souber por onde começar, dê uma olhadinha nas ideias a seguir:

Aprenda do zero ou aprimore aquele idioma que você largou de mão há um tempo atrás. O Duolingo é uma ótima ferramenta para quem está iniciando. Inclusive, dê uma passadinha nestas postagens com dicas para quem está aprendendo Inglês:

Você já pensou em fazer uma limpa no seu lar? Não estou falando sobre faxina, e sim sobre fazer uma triagem dos objetos, papéis, móveis que são realmente importantes, e descartar/doar aqueles que só ocupam espaço e impedem a livre circulação de boas energias no seu lar. Se você consegue ler em Inglês, eu recomendo demais o blog Be More With Less, com artigos interessantíssimos sobre minimalismo, organização, bem-estar, planejamento, desapego e coisitas do gênero.

Bullet Journal como arte e terapia. BuJo é nada mais, nada menos do que um caderno onde você escreve seus planos, compromissos, to-do lists, pensamentos, coisas que te deixam contente ou qualquer coisa que você sinta vontade de registrar. A arte de um BuJo se encontra na estética que você cria em cada página, com fotos, tickets de lugares que você visitou, flores secas, desenhos feitos por você mesmo ou impressos, adesivos e qualquer papelzinho que você queira guardar.

Seu BuJo pode ser criado em cores, glitter e fitas, ou mesmo de forma minimalista; pode ser criado da forma que você quiser, afinal de contas, ele é todo seu. Se você quiser sentir a vibe dessa prática, procure algumas inspirações no Pinterest ou Instagram, por exemplo @vanessajournals, @madetoplan, @keletters. Existem tantos outros perfis tão encantadores e criativos quanto esses. Cabe a você encontrar a estética com a qual você mais se identifica.

O que você quer estar fazendo pós-confinamento? Que tal começar a planejar todos os detalhes necessários para transformar aquele seu sonho em uma meta? Uma viagem, seu próprio negócio, um blog/canal no YouTube. Lembre-se: se somos sensatos, honestos e damos tempo ao tempo, todo e qualquer sonho pode ser realizado. Sonhe alto sim! Você merece :)


Essas são apenas algumas dicas, mas há tantos universos a serem explorados... Permita-se! Essas ideias que listei anteriormente vieram a minha mente enquanto eu mergulhava nessa graminha dos Jardins de Versailles. Foi uma tarde tão agradável e perfeita que tive a impressão de estar morando em um daqueles filmes com cenário bucólico e romântico, como em Pride and Prejudice (Orgulho e Preconceito), meu filme favorito.

Estava lendo o livro Before The Coffee Gets Cold, por Toshikazu Kawaguchi, escritor japonês. Admito que nunca fui uma leitora apaixonada por ficções. Normalmente saio de livrarias e feiras acompanhada de livros voltados para desenvolvimento pessoal, como filosofia, psicologia e espiritualidade, além de livros de poesia. Porém, depois de tantos anos sem ler ao menos um livro de ficção resolvi dar uma chance a esse livro cujo enredo chamou minha atenção.

Comprei esse livro na livraria anglófona The Red Wheelbarrow Bookstore, que se encontra no 6ème arrondissement de Paris, pertinho do Jardin de Luxembourg. Sou apaixonada pela energia dessa livraria, e a dona, que trabalha atendendo na loja, é um doce de pessoa. Caso você esteja procurando livros em Inglês, dê uma passadinha nessa bookstore - você não vai se arrepender.





Planejar algo e se dedicar a alguma atividade de lazer é tão importante quanto comer, beber e dormir. É combustível para nossa alma, que brilha através desses shots de realização e felicidade, então não veja esse desejo da sua alma como "um luxo para quando você tiver tempo", combinado? Você vive o agora. Você é o agora. Então te deixo a seguinte perguntinha: se você tivesse todo o tempo e todo o dinheiro necessário, como você gostaria de passar seus dias?

Espero que essa perguntinha e esse post tragam aquele calorzinho no peito que mencionei anteriormente. Pleeeeease, deixe nos comentários ou me mande uma mensagem contando sobre o que faz seus olhos brilharem. E se você acha que esse post pode servir para algum amigo, compartilhe! Obrigada! De nada! Amo vocês ♡

Comentários

  1. Viajando pelo mundo, lendo, dançando e ajudando gente por onde eu fosse...

    ResponderExcluir
  2. Eu amei esse texto. Resume praticamente o que estou sentindo sobre criar novas metas e planos futuros, investir mais em mim. Você me inspira muito, inclusive, tô amando seu blog <3

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Form for Contact Page (Do not remove)