5 hábitos que adquiri morando em Paris

Olá, lindinhos :) Esse é o primeiro post do projeto 5 coisas que estou iniciando aqui no blog. Esse projeto consiste em compartilhar cinco coisas diversas que me deixam feliz: lugares, descobrimentos, guloseimas, produtos, séries e qualquer outra coisa bacaninha que der na telha. Hoje venho falar sobre 05 hábitos que adquiri morando em Paris.

1. prefiro caminhar/usar transporte público
Eu não sabia o quão dependente de Uber eu era até me mudar para a França. Eu optava por pegar Uber porque (1) o transporte público de Porto Alegre não era tão decente quanto deveria ser, (2) deveria ser era mais seguro e conveniente para voltar para casa à noite e (3) dependendo do trajeto, uma corrida de Uber custava o mesmo que uma passagem de ônibus. Por conta disso eu havia desaprendido a fazer coisas a pé.

Faz mais de ano que moro em Paris, e eu posso contar nos dedos as vezes que pedi um Uber, pois Paris oferece vários tipos de transporte público (ônibus, metrô, RER, Tramway, Transilien). O valor de uma passagem é 1,90€, mas como estou sempre pra lá e pra cá eu pago um passe mensal da Navigo (75,20€) que permite livre acesso a todos os meios de transporte, mas no final das contas eu acabo pagando metade do valor porque a empresa para a qual trabalho paga 50% do passe, ou seja, não tem por que pegar Uber.

Paris é muito desenvolvida, abundante em atividades culturais e lugares para conhecer, mas é uma cidade pequena, believe it or not. Você pode cruzar Paris de uma ponta à outra caminhando, e é por isso que parisienses têm o hábito de caminhar e andar de bike, e eu acabei aderindo :)

 2. falo outras línguas com trejeito francês
Cada nacionalidade tem seu jeitinho único de se expressar, e os franceses conversam entre caras, bocas, sobrancelhas, ombros e bufos. Apesar de eu ter me adaptado muito bem aos costumes franceses, eu ainda me incomodo um pouquinho com essa forma de falar que, na minha opinião, transparece um pouco de deboche, presunção e estresse. E mesmo não simpatizando com esses trejeitos, admito que acabei pegando. Creio que isso é algo inevitável quando você se muda para uma nova cultura e passa um longo tempo nela imersa, mas é sério: eu realmente não gosto desse jeito afrancesado de falar, então tento me regrar quando noto que ando muito francesa haha.

Esse é um dos grandes diferenciais de aprender um idioma no exterior: você não apenas aprende a falar a língua, mas a vivê-la ao ponto de ela fazer parte de ti. Aprendi Inglês no Brasil. Sei falar Inglês? Sei sim, e falo muito bem (sou teacher hehe), mas eu sempre me expressei Inglês da mesma forma que me expresso em Português, com meus trejeitos de brasileira, de gaúcha, com aquela pitada de italiana. Para você ter noção, eu ainda uso (e sempre usarei) bá e tchê enquanto falo Inglês, mas não faço o mesmo com Francês, pois acabei aprendendo a expressar meus sentimentos em Francês.

Se você quiser conhecer um pouco mais sobre a cultura francesa, recomendo o canal no YouTube do Paul Taylor, comediante britânico que mora na França. O quadro What The Fuck France critica o modo de vida francês de forma cômica e um pouco exagerada, mas verdadeira haha.

3. quero comer salada todos os dias
Não estou dizendo que salada somente é deliciosa na França, mas por algum motivo eu passei a amar salada ao ponto de isso ser o meu almoço quase todos os dias. Aliás, quando vou a restaurantes adivinha o que peço? Exato! Salada! Um prato enorme com várias folhas verdinhas misturadas em um arco-íris nutritivo com pedacinhos de queijo + uma cestinha de pão hehe.

Sou vegetariana há um bom tempo e amaria ser vegana, mas admito que eu nunca parei para me organizar e colocar o veganismo em prática, apesar de já consumir alguns alimentos e comprar alguns cosméticos veganos. Independente do consumo de produtos de origem animal ou não, sempre é tempo para prestar atenção no que ingerimos e enxergar nosso alimento como uma rica fonte de nutrição e carinho.

Se veganismo e consumo consciente são assuntos do seu interesse você vai amar seguir a @lizzchollet. A Liz é porto-alegrense, fotógrafa, criadora de conteúdo, blogueira, fofa e um raio de inspiração para uma vida mais saudável e consciente.



4. visto roupas soltas e casuais
Compartilhei recentemente aqui no blog sobre como as francesas geralmente se vestem e como aderi a esse guarda-roupas casual e solto. Quando olho para trás não consigo acreditar na forma como me vestia, com roupas apertadas que não valorizavam as curvas e dobrinhas do meu corpo; um corpo real, como qualquer outro corpo. Se você sabe do que estou falando e já sentiu/ainda sente na pele esse desconforto, confira a postagem aprendi com as francesas: roupas largas e confortáveis + análise de um guarda-roupas sem carinho.

5. não saio em baladas como antigamente
Admito que me sinto muito estranha quando digo isso, pois no Brasil eu era aquela pessoa sempre pronta para uma festa e me acabar dançando até o segurança me mandar embora enquanto os funcionários começam a varrer a pista de dança - isso já aconteceu algumas vezes. Acontece que aqui em Paris isso não é algo tão normal assim. É claro que há casas noturnas que ficam abertas até tarde, e é claro que várias pessoas fazem esse tipo de rolê. Contudo, pude notar que as pessoas por aqui normalmente fazem a soirée em bares, terrasses e ao ar livre, como o famigerado apéro sur la Seine.

Comparando com o Brasil, as soirées francesas começam mais cedo e terminam mais cedo. As baladinhas em Porto Alegre começam praticamente depois da meia-noite, isso significa que se você estiver curtindo a noite você só tem duas opções: (1) você volta para casa com aquele gostinho de quero mais e vai trabalhar no dia seguinte com o que restou da sua dignidade, ou (2) você vira a glamurosa-rainha-do-funk-poderosa-olhar-de-diamante até aquele segurança te expulsar da balada novamente, e você vai trabalhar no dia seguinte sem dignidade alguma. Qual você prefere? Aqui em Paris você não precisa optar entre um ou outro, pois as soirées começam por volta das 20h, você aproveita com classe, volta para casa, tem uma noite decente de sono e vai trabalhar de boinhas no dia seguinte - caso você não tenha bebido o bar inteiro.
☁️ ☁️ ☁️
E esses são os 05 hábitos que adquiri morando aqui em Paris :) Você já morou em algum lugar cujos costumes são diferentes dos seus? Você acha que eles te transformaram de alguma forma? Compartilha aí! À tout à l'heure!

Comentários

Form for Contact Page (Do not remove)