um poema sobre masturbação feminina

minha galáxia em harmonia
um dia de semana
minhas pernas flutuam em um lençol de nuvens e algodão-doce
a luz da primavera beija meus lábios
meus olhos se abrem
tudo gira
brilha e cintila
em tons de rosa e azul turquesa

uma pianista que venera seu piano
tem sede por dedilhar
o piano sente cosquinhas
fica coradinha como um drink de pêssego e uma rodela de laranja que refresca mas que faz pedir por mais
sempre quer mais um gole porque é doce gostoso divertido porque faz suspirar solfejar ofegar
o piano dá risadas toda tímida
palmeiras assobiam ao som da melodia
aves admiram a cantoria

balas de mel
chá de lavanda
incenso de pétalas em tom pastel
minhas calcinhas secando no varal
meus pés limpos de terra
minhas mãos querem também
e partilham com meus seios
meu peito meu pescoço e vai subindo às bochechas
esfrego pelo corpo inteiro o perfume de finalmente estar fazendo as pazes com quem mereço ser

sou tão lua quanto sol
sou a versão justa da mitologia feminina
sou uma galáxia inteira sendo ouvida
minha galáxia em harmonia

Comentários

Postar um comentário

Form for Contact Page (Do not remove)