minha experiência ensinando Inglês para crianças francesas

Alguém aleatório: Pardon? Uma brasileira dando aulas de Inglês para crianças francesas?
Eu: Sim.
Alguém aleatório: Por que você não ensina Português?
Eu: Porque eu quero ensinar Inglês. Ponto.

Esse diálogo se repete over and over again toda vez que alguém me pergunta o que faço aqui em Paris. Venho ensinando Inglês desde 2015 e adoro o que faço, mas esse não é único motivo pelo qual optei pelo ensino de Inglês na França, e você já deve estar imaginando o segundo motivo: há uma demanda maior por aulas de Inglês do que Português.

Como já mencionei no post como encontrei emprego em Paris, trabalho para três empresas diferentes: Speakid, CAP English e Be My Nounou, sendo essa última uma empresa de baby-sitting, então falarei melhor sobre ela em outro post. Hoje trago um pouco da minha experiência trabalhando para Speakid e CAP English, bem como meu feeling quanto a tudo isso.

Speakid, uma escola especializada no ensino de Inglês para crianças, tem duas sedes nos entornos de Paris, uma em Boulogne-Billancourt e outra em Issy-les-Moulieaux, além de ter parceria com várias creches, para onde nós teachers nos direcionamos com nosso material de ensino: alguns chocalhos, flashcards, bolhas de sabão, ukulele e afins. Sim, eu carrego isso pra lá e pra cá, mas é mais leve do que você está pensando.

Já a CAP English não possui uma escola sede, pois o trabalho dessa empresa enfoca no direcionamento de seus teachers a diversas escolas públicas e privadas em Paris, região metropolitana ou em várias outras cidades da França.

Apesar dessas duas empresas terem uma sistemática diferente, elas possuem um ponto em comum: o ensino de Inglês de uma forma divertida e dinâmica, realizado através de atividades que instiguem o gosto pelo aprendizado de Inglês, e essa é uma das coisas que mais gosto na minha profissão. Por mais que seja um trabalho que exija estrutura e responsabilidade social (porque né, estamos lidando com crianças), é também um trabalho que se desenrola de forma leve e descontraída.

Note: Ok, nem sempre... Às vezes tenho que colocar algumas crianças no quiet corner para refletirem sobre seus atos hehe.

preciso falar Francês?

Trabalhando pela Speakid e CAP English, não notei a necessidade em saber falar Francês, e por mais que o teacher domine a língua, evitamos ao máximo falar em Francês com as crianças, priorizando todo e qualquer diálogo em Inglês. Inclusive, tenho alguns colegas de trabalho que estão recém aprendendo Francês e evitam fazer uso dessa língua pois ainda não se sentem confiantes o suficiente.

Contudo, saber o mínimo de Francês me ajuda (e muito!) em sala de aula, já que a maioria das crianças as quais ensino não conseguem se expressar em Inglês. Muitas vezes elas interrompem a aula para falar n'importe quoi (qualquer besteira) do tipo:

Kid: teacher, sabia que eu tenho um coelho em casa, e ele roeu o casaco da minha mãe?
Eu por fora: wooooow, que coelho safado!
Eu por dentro: de onde ele tirou isso? Não estávamos falando sobre pets...

Porém, em outras ocasiões, eles expressam necessidades básicas que devem ser atendidas, como a vontade de ir ao banheiro, beber água, assoar o nariz. Frequentemente me pedem ajuda para amarrar seus sapatinhos e fechar o zíper do casaco, e se eu não falasse Francês, provavelmente não seria capaz de atendê-los. Já aconteceu de repentinamente alguma criança começar a chorar no meio da aula, e se eu tentar ampará-la em Inglês, diálogo algum será estabelecido. Ou seja, é mandatório saber falar Francês? Não, mas isso me ajuda um bocado!

descobri que amo crianças, masss

Depois da minha traumática experiência au pair, achei que não gostasse de crianças. De verdade, se você acessasse meu histórico de pesquisa do Google daquela época você encontraria perguntas do seguinte gênero:


Note: Não me julguem... Ser au pair não tá fácil, ein?

Admito que quando postulei para o cargo de teacher, que envolveria um furacão de crianças ao mesmo tempo, não estava certa de que tinha perfil para tal ofício, e receava ter minha saúde mental afetada e consequentemente ter que largar tudo e go back to the drawing board. Mesmo assim, resolvi dar uma chance a essa oportunidade e deixar o futuro mostrar meu caminho.

07 meses se passaram desde meu primeiro atelier, e posso afirmar que amo-amo-amo demais crianças ao ponto de eu me sentir realmente conectada com algumas delas; ao ponto de chegar em alguma creche/escola um pouco mal-humorada, e sair da mesma leve e sorridente, pois tudo o que essas crianças me dão é amor - amor genuíno. Sério, eu atravesso o pátio das escolas com crianças penduradas nas minhas pernas, enquanto outras gritam como se fizessem parte de um coral infantil: Amandaaaaaaaa!

Descobri que amo crianças, masss isso não significa que queira um emprego com crianças full-time, pois prezo por momentos de solitude e silêncio. Felizmente, tenho esses momentos ao longo do dia, já que tenho que pipocar de escola em escola.

Descobri que amo crianças, masss isso não quer dizer que eu queira ser mãe, ok? Descobri que amo crianças. Ponto. Não precisa ser 08 ou 80, não é?

Comentários

Form for Contact Page (Do not remove)