desabafos dessa turbulência

Mais de um mês se passou desde minha última postagem aqui no blog (praise the fire), e esse distanciamento se deu por conta de turbulências que vinha passando desde o início do ano. Felizmente, encontro-me um pouco mais estabilizada e finalmente posso sentir meus pés tocando o solo e espalhando pequenas, ainda que frágeis e delicadas, raízes. Então agora posso respirar, relaxar, fazer um chazinho e explicar essa situação toda :)

Como vocês sabem, eu moro em Paris, e até o dia 07 de Janeiro eu estava tranquila e tentando manter minha saúde mental razoavelmente estável por conta das greves dos transportes e essa tormentinha que vinhamos passando por aqui - e que finalmente acabou! Bem, eis que a tormenta parte 02 começa quando minha flatmate (coloc, como dizem aqui na França) me trouxe as "boas novas" de que tínhamos 20 dias para empacotar tudo e deixarmos o apartamento. Ela achou que eu fosse ter um ataque de nervos, mas, para sua surpresa, eu disse "ok" e foquei minhas energias em achar um outro apartamento o mais rápido possível. Era a greve dos transportes + a falta de sol + o frio que me entristecia + o Bernardo, meu melhor amigo por aqui, mudando-se para o Brasil + carência + aquela vibe melancólica de final de ano + um salário cortado pela metade por causa das greves + 20 dias para empacotar tudo, achar um outro apartamento e me mudar. Gostoso, não?

Como eu sou brasileira e não desisto nunca, achei rapidinho um outro quarto em um apartamento, o qual dividi com mais quatro pessoas: 02 indianos, 01 americana e 01 colombiano. A localização era perfeita, pois estava mais centralizada do que antes e me locomover para o trabalho nunca fora tão agradável, até que...

Bem, tive um sério (sério mesmo!) problema com um de meus colocs. Sabe quando você assiste a um filme de comédia "besteirol" e há aquele personagem extremamente lunático e insensato, com argumentos inacreditáveis e que só consegue fazer besteira? E você ri dele porque, afinal, é apenas um filme e esse tipo de pessoa não existe na vida real. Well, well... Acontece que esse personagem existe na vida real, e eu morei com ele, e você pode acreditar que eu não ri por um segundo sequer. Na verdade, eu chorei. Chorei de frustração, pois tudo o que queria era um lar e me sentir em paz na casa onde habitava.

No meio desse furacão, ainda fico doente, e minha barrinha de energia e saúde emocional apitava em vermelho neon. Sinto que se todos esses probleminhas tivessem acontecido separadamente, eles não teriam sido grande coisa, mas tudo isso aconteceu ao mesmo tempo, o que me fez sentir extramente sobrecarregada e taciturna. Eu não sentia vontade de conversar com ninguém, inclusive me afastei das redes sociais e WhatsApp, pois só queria repousar em meu casulo desencantado. E o que mais me incomodava era o fato de mentir para minha família nas vídeo chamadas dizendo que estava tudo bem e que amava morar ali, pois não queria preocupá-los. Sabia que eles não poderiam solucionar meu problema do continente onde se encontravam, então não havia por que espalhar tal angústia.

Manhã de 31 de Janeiro, ainda fraca e doente e lidando com várias pequenas coisas, meu coloc lunático comete mais um de seus atos bizarros - o estopim. Lá estava eu chorando mais uma vez, até que me dou conta de que chorar não o tornaria menos insano, então seco minhas lágrimas e começo a procurar freneticamente um outro apartamento em um grupo no Facebook. Minutos após, encontrei um outro quarto em um apartamento não muito distante de onde me localizava, então prontamente entrei em contato com a responsável e marquei uma visita para depois do trabalho.

Eu dividiria novamente um apartamento, dessa vez com apenas duas pessoas e um gato, ou seja, as chances de encontrar problemas ainda existiriam, mas para quem já havia se mudado 04 vezes em 10 meses, mais uma mudança seria de praxe. Coloquei na minha cabeça que perfeição não existe, e que teria que saber quais "probleminhas" eu estaria disposta a aceitar.

Mas, Amanda, por que você não encontra um studio e vai morar sozinha? É... quisera eu, mas não é bem assim que a banda toca por aqui. Paris é cara, meu budget é limitado e eu não tinha muito tempo e serenidade para procurar um cantinho só para mim. Vocês acham que eu "tô podendo" só porque estou morando em Paris? A resposta é nã nã ni nã não.

No dia seguinte minhas malas já estavam empacotadas, e meu amigo Jules já estava me ajudando com a mudança - obrigada, querido! Se estou gostando daqui? Muito! E dessa vez não estou mentindo haha. Se meus colocs são lunáticos? Creio que não. Estamos nos dando bem e sou muito grata por isso. Acho que finalmente estou me sentindo em um lar. Se algum dia quero ter um studiozinho só para mim? Algum dia sim, mas por enquanto estou fugindo de mudanças, abraçando meus hobbies e focando em minhas metas. Esse foi mais um daqueles momentos em que a vida me testa, e acho que fui aprovada :)

Comentários

  1. Oi Amanda! Acho que já falei por aqui que eu amo seu blog,né?
    Eu sei que esse post é um desabafo, mas eu precisava dizer que: eu amo a forma como você escreve. De verdade, eu consegui vizualizar cada cena que você contou na minha cabeça. Ah, e eu li esse post enquanto ouvia The Ballad of Mona Lisa - Panic! At the Disco - acho que me ajudou mais ainda a imaginar tudo.

    Fico feliz que você esteja em um lugar novo e espero que seja melhor que o último. Aparentemente, sim, você foi aprovada nesse teste da vida. Espero que as coisas melhorem cada vez mais por aí! Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Não sei se já disse, mas acho seu blog um chuchu de tão lindo!
    Gostei tanto da forma como você descreveu os acontecimentos. Não que eles sejam muito felizes, mas me senti lendo uma página de um diário seu.
    Meu sonho é morar, se não sempre, pelo menos por um tempo, na França, então ler suas aventuras e desventuras por Paris me faz lembrar ainda mais desse sonho.
    Espero que dê tudo certo com a sua nova casinha!

    ResponderExcluir
  3. Minha irmã mora na Irlanda e já passou muito por tudo isso, principalmente logo que ela se mudou (ela já está por lá tem uns 10 anos). A parte do frio ela reclama até hoje e no caso dela sempre rola uma depressão pela falta do sol, mas segundo ela, aos poucos se acostuma. Hoje ela é casada com um irlandes então tem a casa deles, mas antes disso ela tbm teve muito problemas nos lugares que ela morou, até encontrar um que se adaptasse.

    ResponderExcluir
  4. Fico feliz que as coisas estejam se estabilizando pra você! Também enfrentei mó barra no início desse ano e estou começando uma nova fase agora. E realmente, estar em outro país não significa que ninguém tá podendo! Só deixa o perrengue um pouco mais chique, hehehe

    ResponderExcluir
  5. Eu já passei, mais de uma vez, pela situação de morar com uma pessoa extremamente desagradável. Todas elas foram muito desgastantes e me fizeram ter vontade de desistir da ideia de morar sozinha, voltar para a casa dos meus pais e lá ficar para todo o sempre - porque as loucuras deles eu pelo menos conheço, risos. Sério, já rolou insanidade de colocarem saco de lixo na porta do meu quarto. Enfim. Fico feliz que as coisas estejam se acertando e espero que a turbulência sirva para te preparar para o resto do vôo.
    Literalize-se

    ResponderExcluir
  6. Você é forte!!! Acredite na sua força...
    Amanda, estou a primeira vez aqui no seu blog, e posso dizer após ler seu post. Você tem coragem, e isso já basta. A lua está ai para no mostrar, que tudo são fases. Logo , estará completa novamente

    Bjuss

    ResponderExcluir
  7. Meu, seu blog tem um lugarzinho no meu coracão, que incrivel! Como sempre me impressionando com suas experiências em forma de texto, você é luz! Acredite em você, tudo passa, tanto os bons como os momentos ruins.

    ResponderExcluir
  8. Oi Amanda, tudo bem? Espero que sim, de verdade. Conforme fui lendo sobre suas experiências imaginei o quanto deve ter sido difícil todos esses momentos. Por outro lado acredito que quando acontecem tantas turbulências assim logo em seguida vem um grande aprendizado. Você sairá mais forte, mais madura, e com uma visão de mundo totalmente diferente. Agora pode ainda não ter seu studio, mas acredite, em breve conseguirá. E será do jeitinho que sonhou. Te desejo todo sucesso do mundo. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  9. Oi Amanda, eu sei bem como pode estar se sentindo. A prima do meu noivo mora na França tem cinco anos e ela estava relatando diariamente pra gente todos os problemas que estavam acontecendo devido as greves, inclusive da casa dela até o serviço tinha se tornado um trajeto de quase três horas o que triplica o cansaço, né? De qualquer forma, fiquei feliz com o ultimo relato em que as coisas estavam dando certo, voltando a dar certo. Eu nem imagino como era terrível morar com uma pessoa tão angustiante como descreveu, mas as coisas vão melhorar e espero que continue dando certo nesse novo apartamento!

    ResponderExcluir
  10. Foi-se o tempo em que a gente ria dos personagens babacas de filme, né? Com as redes sociais as conseqüências da babaquice tem ficado tão claras, ainda bem, que as pessoas felizmente estão adquirindo é ódio.

    Fico muito feliz que essa longa tempestade tenha acabado em calmaria! Que você seja muito feliz no novo lar enquanto precisar ficar aí!

    ResponderExcluir
  11. Diverti-me lendo s descrição dos fatos. Sei que não era pra rir, mas tive que rir porque entendo muito bem pelo que passou. Quando morei na Inglaterra, eu tb tinha flatmates e passeio por situações de mudança de lar e 10 coisas dando errado ao mesmo tempo. Eu achava graça, pois enxergava tudo como uma grande aventura que me faria amadurecer longe de minha terra natal. Que bom que as coisas estão se ajeitando e quando algo der errado novamente, dê um sorriso e lembre que este "sofrimento" está acontecendo em Paris, o lugar onde você queria estar para realizar seus sonhos ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para explicar melhor: todos temos problemas, seja no Brasil ou no Japão; mas o legal é que você pode até estar tendo algumas dificuldades, mas pelo menos estão acontecendo no lugar onde você sonhava estar, então isto é positivo.

      Excluir
  12. Moça que turbulencia este inicio de ano, com as mudanças e adaptações. Imagino ja ser um pouco dificil estar fora por que temos costumes mais proximos e diferentes. Fico feliz em ler que conseguiu dar a volta por cima e agora esta melhor.

    ResponderExcluir
  13. Que barra. Passar por tudo isso em um país diferente, não deve ser fácil. Mas sabe que aprendi contigo a ser forte e não deixar as turbulências nos derrubarem. Que bom que está melhor.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Form for Contact Page (Do not remove)